Porque eu me machuquei?

  • Com certeza, está é uma das perguntas mais frequentes realizadas por nossos pacientes com lesões músculoesqueléticas relacionadas a algum tipo de exercício físico. Para responder a esta pergunta é preciso entender as principais formas que nossos tecidos respondem as diferentes sobrecargas mecânicas. Nossas lesões podem ser decorrentes de um macrotrauma, um trauma de energia cinética grande o suficiente para ultrapassar as capacidades de deformação de um tecido, levando a perda de sua continuidade; ou por microtraumas, onde a repetição de gestos mecânicos ao longo do tempo leva a sobrecargas teciduais que não são suficientes para ultrapassar a capacidade de deformação do tecido de imediato, mas que causam microfissuras em sua estrutura que, em decorrência do processo de regeneração, acabam formando “cicatrizes” que não possuem as mesmas capacidades de resposta mecânica que o tecido original. Desta forma, é possível compreender que o efeito da sobrecarga por microtraumas é cumulativa e influenciada por diversos fatores como qualidade do sono, nutrição e periodização de treino, de forma que em determinado momento a carga mecânica que em outras ocasiões foi bem tolerada por determinado tecido pode produzir a sua ruptura.

    Devemos lembrar que a falta de força ou flexibilidade não são os únicos fatores relacionados com sobrecargas do aparelho musculoesquelético. Para cumprir nosso objetivo durante um exercício muitas vezes abdicamos da biomecânica correta. Durante os últimos metros de uma corrida, a última repetição de uma série ou para aumentar o peso além de nossa carga máxima, nosso sistema nervoso central pode lançar mão de comportamentos diferentes com o objetivo de cumprir o que está sendo demandado. E é justamente a melhora da performance relacionada a repetição deste comportamento que é responsável pelo processo de consolidação de uma estratégia de movimento em uma atividade física. Caso você tenha interesse em compreender melhor este modelo de fisioterapia baseado na correção dos padrões de movimento, sem se limitar a uma visão reducionista sobre a sua doença, entre em contato conosco. Nosso serviço de Avaliação Biomecânica Funcional visa identificar a estratégia de movimento que o seu sistema nervoso central encontrou para cumprir determinada função e que, nesse momento, pode estar causando sobrecargas teciduais ou limitando a melhora de sua performance no esporte.

    Equipe Armor
    Instituto Opus Magnum